"E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti." (Friedrich Nietzsche)

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Declarações

Meu peito abriga uma fera
Sem nome, ela pulsa selvagemente.
Ela quer ser quem sou.
Quer tomar o meu lugar.
Assim, me torno indiferente.
Meu sorriso amarelo desbotado me corrói.
Mas tenho que seguir em frente.
Ou não?
Você continua lá, com suas frases belas
Seu cinismo e seus olhares.
Seus olhos...
Decifram-me, inundam-me.
Eu quero estar dentro deles.
Quero mergulhar no seu mar.
Mostrar-te que o amor não é em vão.
Que á vezes sentir é melhor que pensar...
Mas tenho minhas mãos atadas!
Preciso acalmar minha ânsia de você.
Mas como esquecer o beijo que nunca tive?
O abraço que nunca aconteceu?
Assim vou instigando meu monstro imaginário.
Que se contorce para que eu mostre minha verdadeira face.
Mas eu insisto em fazer um papel pré-moldado...
Insisto em continuar nesse beco sem saída.
Quem sabe um dia você olhe para o lado
E ao invés de ver sua própria sombra você me veja...

Nenhum comentário:

Postar um comentário