"E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti." (Friedrich Nietzsche)

domingo, 22 de janeiro de 2012

Gritos e Vodka

Se eu pudesse não estaria aqui
Se eu pudesse eu te esmagaria
Te provaria quem está ali
Há um segundo da alegria

Arrancaria todos os suas veias e seus nervos
Te explodiria e aí você sumiria
Faria contigo tudo o que nas coisas que escrevo
No sague você desmancharia

Seus cabelo loiros já pegando fogo
Com ele acenderia meu cigarro
Tomando meu conhaque, te dou mais um soco
Pra acabar com a gritaria e meu pigarro

Você olhando para o cristo na parede
“Meu bem ele está crucificado”
Está pregado e morto assim como esse olho verde
Que por um dia ele esteve apaixonado

Agora com a calmaria chegando
Que sem graça essa cena de tortura!
Você só fica aí no grito e esperneando
Ai, acho que chegou a hora mais dura

Te coloco na banheira de vodka gelada
Seus gritos me alucinam, você mereceu
Eu bebo um pouco de você e queimo a casa
Isso só foi pra ensinar a não mexer no que é meu...

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Epílogos e Finais





"Vidas sem destinos
Entradas e saídas
Jogos perdidos
Verdades traídas

Aonde se escondeu o amor?
Para que tanto descaso?
Por que se render a dor,
Se do nada eu me refaço?

Eu posso perder no final
Eu posso ganhar também
Você poderá estar aqui afinal
Ou poderá ser outro alguém

Mentiras e verdades
Veladas e escondidas
Não diga que são vaidades
Ou que já foram vencidas

A desordem por completo
Eu vou arrumando agora
Espero estar no caminho certo
Ou eu então irei embora

Não me leve a mal
Eu ainda tenho um coração
Só acho que é fatal
Brincar em plena escuridão"