"E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti." (Friedrich Nietzsche)

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Medos & Caminhos

Eu corro do meu medo Me escondo entre falsos sorrisos Esqueço do peso Que o disfarce traz com isso Luto pelo infinito Corro atras de estrelas Queria um mundo bonito Onde nao houvesse tristezas Clamo pelo amor alheio Mas me desfaço de tudo que prende Sigo o caminho mais feio Fujo para outro continente Quero receber amor Quero me libertar Mas como fugir da dor, Que este pode me causar? Por isso sigo adiante O meu caminho ao sol Sou um navio errante Sem rumo e sem farol Eu vivo a vida, simples assim Sem ter medo ou piedade Não peço que corram atras de mim Eu já me acostumei com a saudade...

Um comentário:

  1. Medos e Caminhos... fabulosa poesia, temos que nos juntar e publicar um livro poético.
    ASS. Psiquê Filosófica.

    ResponderExcluir