"E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti." (Friedrich Nietzsche)

sábado, 6 de outubro de 2012

"Sou a sombra de todos os amores. De todos os cheiros que ficaram no meu corpo. Ou não. A noite vem mais uma vez. E dessa vez gotas de chuva caem timidamente. Disfarçando as lágrimas teimosas. Eu chamo nomes que já não existem mais. Eu vejo olhos que já se foram. E continuo caminhando sem olhar para trás. Mas esses pensamentos tolos vem me torturar. Me desfaço da solidão, mas ela me persegue. Então vejo estrelas em olhos falsos. E eu finjo a redenção para apunhalar... Porque sou feita de dores e desilusões. Eu sou a terra que anseia pelo corpo morto. Mas não tenhamos pressa..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário