"E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti." (Friedrich Nietzsche)

terça-feira, 5 de março de 2013

Atmosphere

É difícil explicar como me sinto. É um emaranhado de sentimentos caóticos. O querer incontrolável de ficar como um vegetal. Sem luxos, sem ninguém, sem vida... Querer sentir dor, viver a dor física. Mas qual o sentido de se cortar? Me vejo no espelho e não me reconheço. Esse corpo não me pertence. Esse sorriso amarelo não é meu. Só o vazio nos olhos... A dor. A dor inexplicável. Onde qualquer coisa ativa esse buraco negro. Essa nuvem escura e espessa em cima de mim. Essa incompreensão, esse mundo da qual eu não faço parte. E não me deixam viver o meu mundo, meu mundo imaginário. Mas um dia eu fujo, para nunca mais voltar. E não mandarei cartões postais e nem fotos sorridentes. Meu mundo está dentro de mim, prestes a implodir. Explodir. E quando isso acontecer, farei da forma mais bonita. E serei meu rei e minha rainha. Meu louvor e a minha queda. Mas...até lá, me deixe aqui quieta. Apague a luz e feche a porta.

segunda-feira, 4 de março de 2013

:(:

Quem olha pra mim não sabe por tudo que eu passei e ainda passo.Veem que sou mal humorada e muitas vezes apática e acham que eu desisti da vida. Não é bem assim. Na verdade muitas vezes sinto como se ela é que tivesse desistido de mim. Mas também sei que isso pode ser uma armadilha da depressão. Depressão não é legal, engraçada e nem bobeira e frescura. Se eu pudesse eu viveria sorrindo, pois saberia que é de verdade. E não ficar com cara de bunda durante quase 24h do dia. Eu ainda luto contra isso, mas a cada dia vejo que é mais fácil ser amiga da tristeza do que declarar guerra a ela.